Deixe um comentário

Bruxaria Cibernética — A Proposta

CyberCraft — Uma metáfora interpretativa

image

      Bem-vindo ao Manual da CyberCraft. Nós esperamos que você goste e se beneficie desta pequena exploração da complexo mágicko mente-corpo. Nosso objetivo é ajudá-los a operarem em níveis mais elevados em todos os planos de vida. Não é nosso propósito assistí-los apenas a se sentirem melhor. A bruxaria tem alguns ensinamentos muitos positivos para sua vida. Os autores deste documento esperam interpretar as metáforas trazendo-as para um cenário do fim do século XX que podemos usar como trampolim para o século XXI.

      No entanto, temos fortes forças competindo contra isto. A primeira luta na qual estamos envolvidos é com o complexo mente-corpo. Quem vai controlar nossas mente-corpos? Será que vai ser o Aspirante, alguém à procura de uma vida melhor, ou serão os Controladores, aqueles com o poder e dinheiro para moldar nossas mentes para seus propósitos? Será que vamos nutrir os emergentes Changelings? Ou deixaremos os Perseguidores administrarem o Último Rito de nossa descendência?

      A CyberCraft não se destina a ser um fim em si mesmo. CyberCraft é a arte de viver inteligentemente. Esperamos que ela ofereça ao Aspirante as alternativas necessárias para criar um mundo melhor para se viver. Além disso a CyberCraft é uma metáfora psico-espiritual para o Século XXI. Essa metáfora é baseada na individualização espiritual enquanto outras são baseadas na desindividualização espiritual.

      CyberCraft é a arte de viver que integra processos racionais e irracionais através de estruturas mítico-poéticas principalmente da Wicca, neo-paganismo e outras sistemas de crenças religiosas relacionadas. Incorpora também o conhecimento de novas e emergentes ciências humanas. Princípios da auto-programação ética como os descritos por Timothy Leary, John Lilly, Robert Anton Wilson, Antero Alli e Christopher Hyatt devem ser incorporados nos processos relacionais; aqueles ambientados entre conhecimento solar e lunar. A CyberCraft é uma tradição de auto-modificação. Ela se alterará de acordo com mudanças culturais. A CyberCraft também é uma metáfora psico-espiritual que irá gerar, santificar e venerar as ferramentas necessárias para desfrutar de uma mente e corpo sãos.

      Os autores acima citados ajudam a lançar luz sobre nossos processos de pensamento. Os termos e estruturas que utilizam devem ser considerados como metafóricos. Mas eles fornecem um cenário viável a partir do qual se pode construir um sistema de crenças mais atual e apropriado para nossa época.

      Os seres humanos parecem ter uma necessidade de serem racionais e irracionais ao mesmo tempo. Ao fazê-lo geram alguns problemas e colhem alguns benefícios. Neste ponto da História humana não somos capazes de mensurar magick, nem somos capazes de medir ou sentir o chamado etérico ou astral. Desde que nos seja dado tempo e o interesse ainda exista, poderemos ser capazes de inventarmos uma medida e/ou dispositivos de detecção para tais quantidades indeterminadas.

      Fomentar a prática da dissociação entre mente e corpo tem fragmentado ainda mais separação dos seres humanos. Para a CyberCraft mente-corpo é um complexo, um redemoinho de energia. A mente e o corpo são uma entidade una, inseparável e indivisível.

      É a opinião deste autor que muitos aspectos dos poderes são incompreendidos. Ao longo dos séculos, e em várias culturas, seres humanos têm sobreposto fábulas populares e suas expectativas pessoais no que crêem que são os poderes no quadro de habilidades humanas. E ao fazê-lo uma carga desnecessária tem furtivamente se infiltrado na estrutura do senso-comum. Agora é a hora de olharmos para nossa natureza humana sem a lente turva e danificada da dupla Cristianismo e Patriarcado.

      Seres humanos são animais por definição. A magick humana deve em primeiro lugar ser magick animal. Mas isso significa que nós devemos ficar satisfeitos com uma expectativa animal do que nossas habilidades podem ser? Será que devemos empurrar para trás os limites normais/naturais? Até que ponto?

     O primeiro passo é conhecer a nós mesmos. Será que isto significa conhecer apenas nossos corpos? E nossos desejos? Nossas esperanças, sonhos e aspirações? Que tal nossas mentes? Por que devemos permanecer sem saber por que razão e como pensamos? Sabemos agora? Ou será que apenas achamos sem realmente saber? Qual o papel de conceitos preconcebidos na formulação desta sensação? Como fazer nossas respectivas culturas nos ajudarem a definir a nossa consciência? São estas definições úteis? O que pode ser substituído? Pelo quê?

      É útil focar essas questões na mente humana. Tudo o que posso pensar é pensado com o bio-computador ao qual chamamos de cérebro. Como o cérebro funciona? Esforços investigativos ainda estão em andamento, mas descobrimos que o cerne cerebral é composto de bilhões de feixes de células chamadas neurônios. Cada neurônio pode ter até 10.000 portas de entrada para outros neurônios. Sabemos que a informação é transmitida eletro-quimicamente em cerca de 0,07 volts. Mas nós não sabemos tudo ainda. E poucos de todos nós sabem por que pensamos o que pensamos.

      A CyberCraft deve ser um sistema psico-político-religioso para atender às necessidades dos indivíduos que sintam que é necessário uma abordagem emocional e clássica em suas vidas. Estas necessidades devem ser formatadas em bases de conhecimento solar e lunar, isto é, em modos racionais e irracionais com processos relacionais que foquem no meio do caminho entre eles. Estas devem ser utilizadas para um avanço máximo.

      Os seres humanos estão descobrindo que há apenas uma sutil diferença entre os sistemas políticos e religiosos. De fato sistemas religiosos substituem o chefe tribal ou monarca por um líder desencarnado. Isto facilita a tarefa de governar a população por meio das revelações e mandamentos do desencarnado e inexistente governador. Os seres humanos sempre têm mais medo do que eles não podem ver, entender ou compreender. E nós sempre tememos o punidor invisível; o punidor interior que conhece nossos maiores medos. Consequentemente sistemas religiosos são sistemas políticos de ordem complementar. Os sistemas políticos devem ser considerados sistemas metareligiosos em que as preocupações políticas jazem na base religiosa ou ficam atrás dos interesses religiosos. Sistemas religiosos são sistemas políticos de natureza interna.

      Compreender os nossos pensamentos deve se tornar um pouco mais fácil no âmbito solar e lunar. Adicionalmente muitos outros modos de consciência podem ser analisados, cujo os quais abranjam estes tropos. Estes devem ser designados como os processos relacionais ou relativos.

      Assistência eletrônica e química para modificar a consciência pode ser útil para ajudar a determinar como um indivíduo dirige escolhas eticamente programadas profundamente em sua psique. Mas uma vez que a mensagem foi recebida devemos pendurar o telefone sobre os propulsores químicos. Uma nova geração de Brain Machines está no mercado atualmente. Recentemente tivemos a oportunidade de testar um modelo do tipo sugestivo e áudio-visual. A experiência foi positiva.

      A CyberCraft deve incorporar muitos dos conceitos contidos no Manifesto Humanista II.

      Os humanistas seculares foram pioneiros em muitas ideias valiosamente necessárias para a constante evolução dos ambientes políticos e sociais de hoje. Cibernautas devem expandir alguns conceitos humanísticos com a alta tecnologia em resposta às questões pessoais prementes. E com a aplicação tecnológica em sistemas de serviços humanos podemos fazer a diferença não apenas no nosso cantinho do planeta, mas em outros lugares.

      A CyberCraft deve promover uma nova classe de tecnologia denominada GreenTech. A GreenTech deve ser uma tecnologia que recicla e/ou conserva os recursos naturais da Matrix.

      CyberCraft é um novo sistema psico-espiritual, que é principalmente, um modo de pensar. Pensamento inteligente geralmente leva à vida inteligente. Além disso, a aplicação da CyberCraft na vida mundana deve ser fácil e sem costura. Em vez de puxar o indivíduo para fora do complexo social, deve permitir-lhe integrar-se facilmente com o meio social.

      Todas as estruturas humanas geram a partir da mente humana. Métodos de pensamento ainda mais poderosos são necessários para nos ajudar ao longo do nosso caminho em um ambiente de conhecimento cada vez cada vez mais poluído. Devemos conduzir com nossas próprias mãos as habilidades para tomar decisões racionais, relativas e irracionais sem medo do resultado e obsessão pelo processo.

      A CyberCraft deve tocar o ateu, bem como o religioso, uma vez que incide sobre histórias e estruturas mítico-poéticas e conexões místicas entre o que é e o que não é visto, como oposição às estruturas teóricas dogmáticas. A CyberCraft enfatiza relações acima de religião. Este autor acredita que a maioria das religiões do mundo são baseadas em auto-engano. Este auto- engano é normalmente significativo para suavizar passagens difíceis da vida. Mas devemos ser honestos com nós mesmos. Para nos conhecemos, temos que lidar bem com esses acontecimentos que nos causam tanta dor. Em vez de nos convencermos com bonitos contos de fadas, precisamos trabalhar em harmonia com a nossa natureza. Mas primeiro precisamos saber o que é a nossa natureza. E então, com maior compreensão, poderemos modificar a mesma.

      Os arquétipos da Wicca, paganismo e outros sistemas devem ser tidos como padrões úteis para planejar a experiência humana e as relações entre as várias formas de vida existentes.

      No livro “The Different Drum: Community Making and Peace”, Scott Peck cita as seguintes etapas de transição da orientação religiosa.

      Primeiro há uma fase de ingenuidade em que o complexo mente / corpo humano não está programado.

      Depois segue-se uma fase de organização em que o complexo mente / corpo é programado por uma estrutura religiosa aceitável. Após um tempo o indivíduo descobre que a estrutura religiosa foca em caminhos indesejáveis para o seguidor. Esta continua até ser formulada uma maneira de escapar que forneça uma retirada honrosa.

      Algum tempo depois os indivíduos se tornam céticos devido alguma experiência ou um conjunto de experiências. Este estágio é marcado por alguma forma de agnosticismo ou ateísmo. É uma rejeição dos sistemas organizados que tendem a explorar o seguidor para ganhos financeiros e/ou políticos.

      Ainda assim, o indivíduo precisa sentir que faz parte de algo maior do que ele. Inicia-se uma fase mística após um vislumbre de esperança ser visto nos meandros naturais da vida. Geralmente a fase mística tem um toque eclético pois o bio-computador compara seletivamente, aceita e rejeita conceitos e estruturas que são úteis ou não. Esta experiência é intensamente pessoal. Em muitos casos, não há palavras para descrever a experiência.

      Estruturas teóricas devem ser incluídas, desde que sejam estruturas ou modelos metafóricos considerados existentes dentro da mente humana. Estas estruturas podem, então, ser usadas para trazer à tona profundo significado pessoal.

                         ————————–

Faces Externas

Domínios

      Os domínios são usados metaforicamente. Mais corretamente, eles representam áreas de interesse. Superior e inferior referem-se a mais do que à colocação social, cultural ou ética. No entanto estes termos ainda apresentam alguma herança cultural. Superior normalmente deve referir-se ao mais denso e, portanto, seria considerado como os reinos inferiores na desindividualização ou nas estruturas teóricas de foco espiritual. Para efeitos de CyberCraft processos solares podem ser considerados como Processos de Domínio Superior, os processos relacionais como Processos de Domínio Médio e os processos lunares como Processos de Domínio Inferior.

      Esta é uma reversão das habituais estruturas de cunho espiritual que conduzem o iniciado em isolamento e pobreza. A CyberCraft não necessita ser asceta nem incômoda. Se esta chegar a um quadro não agradável ela precisa morrer e renascer.

      Superior refere-se à densidade relativa da matéria. As ciências humanas são mais adequadas para os seres humanos, as ciências espirituais mais apropriadas para os espíritos. Nos domínios superiores conhecimento sobre ervas e tópicos de auto-ajuda são mais regra do que exceção.

Aspectos Religiosos — Domínio Inferior

      O metafórico Domínio Inferior é o domínio das relações. Este é a base do sistema de crença religiosa que deve refletir o relacionamento ético-humanitário no seu planeta natal e na humanidade. Dependendo do foco pessoal a Terra pode ser personificada ou considerada a avó ou mãe da humanidade. Ela deve ser intitulada como Gaia, Mãe ou Matrix (ou Matriz), o espaço que permite a existência de todas as formas físicas e não-físicas de vida habitantes deste planeta. Os processos solares envolvidos devem ser considerados como uma “auto-checagem” para evitar a poluição deste ambiente, em detrimento de todas as formas de vida.

      Podem existir outras matrizes. A CyberCraft deve se preocupar com manifestações planetárias locais sem negar a existência de outras matrizes.

      A Matrix está emparelhada com Patrus, que é um símbolo de tudo o que tem acontecido com e sobre a Matrix. Fenômenos incluídos são os eventos geológicos, fenômenos meteorológicos, intrusões de fora da Matriz, como impactos de meteoros, panspermia e intervenções diretas vindas de outras raças espaciais. De certo modo, Patrus pode ser tido como os processos evolutivos ou história de toda a vida na Matrix. Matrix e Patrus sobrepõem, interligam ou conectam, as formas de vida.

      Outras entidades personificadas ou romantizadas devem existir dentro da Matriz. Estes devem ser a Senhora/Lady e o Senhor/Lord, considerados como mais importantes ou de uma natureza relativamente mais imediata a serem vistos como Entradas para outras entidades, outros espaços, naturezas físico-energéticas ou espaços psíquicos. Frequentemente a Senhora e o Senhor devem ser comemorados como perfeitos padrões humanos. Matrix e Patrus juntamente com a Senhora e o Senhor devem ser lembrados a cada celebração de Lua Cheia.

Emprego da Bruxaria — Domínio Médio

      O metafórico Domínio Médio deve ser o do emprego da Arte. Primeiramente enfatizamos as representações físicas do Domínio Médio. Ferramentas especiais devem ser selecionadas para um indivíduo ou grupo. Estas ferramentas podem ou não refletir seu uso, contudo devem ser mais apropriadas para a cultura e / ou localidade geográfica do que para seu uso tradicional.

      Vestes especiais podem ser apropriadas, contudo a nudez é mais útil para a metaprogramação. O cerne do indivíduo deve ser considerado antes de escolher ferramentas ou vestimentas.

      Ferramentas e rituais devem ser usados para imediatos esforços de metaprogramação. Rituais dramáticos devem ser utilizados beneficamente para a programação individual ou alinhamento do grupo.

      Experimentos em comunicação com entidades não-físicas ou desencarnadas devem ser um objetivo. Novos modos de relacionamento sexual ou de vida emocional devem ser incorporados contanto que os membros sintam-se confortáveis com tais atividades. Segurança, tanto física como emocional, deve ser primordial. Treinamento de indivíduos pode ser necessário para ajudá-los em seu crescimento em áreas desconhecidas.

      Um foco importante do Domínio Médio é a criação e manutenção da Vontade. Atualmente os humanos têm sido despojados de sua Vontade. A Cybercraft espera gerar e utilizar rituais e técnicas de programação apropriados para alcançar este objetivo.

Incorporação das Ciências Físicas — Domínio Superior

      O metafórico Domínio Superior deve ser o dos sistemas de conhecimento físicos e humanos, ou seja, conhecimento médico (de parto, cuidados infantis e manutenção da saúde), nutricional, cosmético, exercícios e conhecimento de sistemas criativos, isto é, costura, culinária, ciências de construção, jardinagem e técnicas de agricultura orgânica e técnicas de defesa pessoal.

      A CyberCraft deve inicialmente fornecer a estrutura para a imersão em um domínio. O indivíduo ou grupo deve decidir qual nível precisa focar.

Organização

      CyberCraft deve tentar incorporar técnicas comprovadas de gestão de células ou pequenos grupos, mantendo a intimidade/proximidade entre os membros. Os líderes destes grupos podem ser indivíduos de qualquer sexo e de qualquer orientação sexual, contudo devem ser emocionalmente estáveis — que saibam lidar melhor com suas emoções que a maioria das pessoas. Eles podem escolher os seus próprios nomes e títulos. Ou a CyberCraft pode atribuir um título a fim de estabelecer uma tradição um pouco formalizada, mas sem restrições. Sugerimos as seguintes classificações:

⇨     Aspirante              —   uma mente inquiridora.

⇨     CiberNauta          —  um humano evoluindo do quarto ao oitavo circuito, um aspirante a CyberPriest/ess.

⇨     CyberPriest/ess —  um humano em pleno funcionamento do oitavo circuito.

⇨     Transitioner        —  um jovem ou humano do oitavo circuito que demonstra sinais de metamorfose física.

⇨     Novo Humano    —  alguém que completou a transição.

⇨     Cyberim               —  o complexo total de pessoas praticando CyberCraft.

      A célula ou grupo deve ter cerca de 2 a 15 membros. No entanto qualquer número de participantes pode ser utilizado desde que a intimidade genuína seja mantida.

      A CyberCraft deve tentar atender às necessidades políticas e econômicas de seus praticantes. Uma infra-estrutura econômica deve ser estabelecida na metodologia CyberCraftiana. Enriquecimento pessoal e empoderamento como oposição ao engrandecimento pessoal devem ser o objetivo, permitindo ao membro viver bem em qualquer ambiente difícil ou estranho econômica e politicamente.

Requisitos Emocionais

      Qual é o papel do amor na CyberCraft? O amor em suas várias formas permeia a CyberCraft. Do amor materno e fraterno, ao amor pelo conhecimento e sabedoria, ao desejo e a paixão, o prazer do complexo mente-corpo, etc. O amor desempenha um papel vital. Mas não somos tão ingênuos a ponto de supor que exista apenas um tipo de amor. Muitos tons e sabores diferentes compõem este arco-íris de emoção. A CyberCraft deve experimentar e enfatizar como diferentes formas de amor são possíveis.

                         ————————–

Faces Internas

      Estas são considerações internas geralmente não apresentáveis para o público em geral. As pérolas são delicadas. Não precisamos maculá-las. As faces internas podem ser determinadas num momento posterior.

      A CyberCraft é um jogo; o jogo da vida. Jogue-o!

                         ————————–
                    

Adaptado por Lizza Bathory de Sacred-texts

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: