Deixe um comentário

Inauguration of the Pleasure Dome de Kenneth Anger

Curta de Kenneth Anger, de 1954, com música do compositor de ópera tcheco, Léos Janàček (1854-1928).

Neste sensual e complexo espetáculo, Shiva, Pan, Hecate, e Kali (entre outros deuses e figuras e mitológicas) valsam até o fim em elaborados cenários, em um misterioso ritual de vasta beleza. Anger continua suas investigações sobre o fascínio dos mitos colocando suas criaturas favoritas defronte uma com as outras num ambiente fantástico. Um psicodélico épico, baseado, em parte, nos escritos do ídolo de Anger, Aleister Crowley, THE INAUGURATION OF THE PLEASURE DOME deixa para trás qualquer referência à realidade.

SAIBA MAIS:

Inauguration of the Pleasure Dome é um curta-metragem de Kenneth Anger. O filme tem 38 minutos e foi filmado em 1954. Kenneth Anger criou duas outras versões para este filme, uma em 1966 e outra no final dos anos 70.

De acordo com o próprio Kenneth Anger, a expressão “pleasure dome” (que aparece no título do filme) surgiu de um poema de Samuel Taylor Coleridge, chamado Kubla Khan. Kenneth Anger sentiu-se inspirado para fazer este filme, logo após aparecer em uma festa de Halloween, chamada de “Come as your Madness.”

Durante os anos 60, 70 e 80, este filme – principalmente, a segunda e a terceira versão – foi, diversas vezes, exibido nas universidades e galerias de arte estadunidenses.

A trilha sonora da edição original é uma perfomance completa da Missa Glagolítica, do compositor tcheco Leoš Janáček (1854 – 1928). Em 1966, uma versão re-editada, conhecida como ‘The Sacred Mushroom Edition’ foi disponibilizada. No final dos anos 70, uma terceira revisão, basicamente ‘The Sacred Mushroom Edition’ re-editada para se ajustar ao álbum Eldorado,
da Electric Light Orchestra, substituiu uma música de blues que Anger achou que não se encaixava no clima do filme.

As diferenças no visual da versão original de 1954 com as outras duas, são pequenas.

No elenco, o filme traz a autora Anaïs Nin, no papel de ‘Astarte’; Marjorie Cameron, no papel de ‘A Mulher Escarlate’; o cineasta Curtis Harrington, e também o próprio Kenneth Anger.

O filme reflete o profundo interesse de Anger por Thelema, como é indicado pelo papel de Cameron como “A Mulher Escarlate” (como Crowley denominava suas parceiras magickas).

O filme usa algumas cenas de L’Inferno, filme mudo italiano, de 1911. Perto do final, cenas do filme Puce Moment, de Anger, são interpoladas com imagens e faces em camadas.

ELENCO:
Samson de Brier como Shiva, Osiris, Nero, Cagliostro, e Aleister Crowley (creditado como “A Grande Besta 666”);
Marjorie Cameron como A Mulher Escarlate e Kali;
Joan Whitney como Afrodite;
Katy Kadell como Isis;
Renate Druks como Lilith;
Anaïs Nin como Astarte;
Curtis Harrington como César, o sonâmbulo;
Kenneth Anger como Hecate;
Paul Mathison como Pan;
Loome como Ganimedes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: