Deixe um comentário

Kenneth Anger — Lucifer Rising (1970-80)

Curta-metragem experimental de Kenneth Anger - Lucifer Rising

Perverso para alguns, para outros um visionário, Kenneth Anger é unanimemente considerado o rei indiscutível do cinema avant-garde. Lucifer Rising é um de seus curta-metragens experimentais. O filme foi concluído em 1972, mas somente foi amplamente distribuído em 1980.

O filme não tem um enredo real e se passa em vários lugares considerados “mágicos” no Egito (Luxor), Inglaterra e Alemanha (Extersteine).

O início ocorre no Etna, onde foi filmado alguns fluxos de lava. O filme conta a ascensão de Lúcifer, figura divina considerada um símbolo do bem e do mal absolutos, ao mesmo tempo. O filme é composto de uma série de sequências sem diálogos (traço peculiar recorrente durante a carreira de Anger como cineasta) que retratam celebrações pagãs, ritos mágicos, evocações obscuras, muitas vezes usando técnicas de montagem alternadas freneticamente.

Anger começou as filmagens por volta de 1966, com a contratação de um jovem músico chamado Bobby Beausoleil para atuar e compor a trilha sonora.

O filme foi abandonado em 1967, porque a Anger disse que sequências da filmagem haviam sido roubadas por Beausoleil.

(Beausoleil e outros afirmaram que a Anger tinha simplesmente gastado todo o dinheiro para o filme).

Anger usou então parte do material filmado em outro curta-metragem, Invocation of My Demon Brother, em 1969. Pouco tempo depois, em 1970, Beausoleil foi condenado pela morte de Gary Hinman sob as ordens de Charles Manson.

Anger começou a filmar novamente alguns anos mais tarde, com a cantora britânica Marianne Faithfull aparecendo no filme.

Chris Jagger, irmão de Mick Jagger, foi originalmente previsto para o papel de Lúcifer, mas teve desentendimentos com Kenneth Anger, o que fez com que a maioria de suas cenas fossem extirpadas do filme.

O guitarrista do Led Zeppelin, Jimmy Page, foi contratado para gravar a trilha sonora, mas Anger não gostou da demora para sua produção nem do resultado, e Page foi substituído por Beausoleil, que escreveu e gravou a música na prisão. No entanto Page fez uma breve aparição no filme. Page segura uma estela egípcia, enquanto admira um retrato do ocultista Aleister Crowley. A trilha sonora descartada por Anger, originalmente elaborada por Jimmy Page, foi finalmente lançada em 2012 sob o título Lucifer Rising and Other Sound Tracks.

AUTORA:

LIZZA BATHORY
LIZZA BATHORY

Blogueira d’O Submundo em tempo integral e estudante de Ciências Econômicas nas horas vagas.
elizabeth.bathory.ce@gmail.com
Confira mais textos desta autora clicando aqui

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: