Deixe um comentário

Israel Regardie, Iniciação e Psicoterapia — Por Cris Monnastre e David Griffin

Este é um texto de Cris Monnastre, atual lider da The Hermetic Order of the Golden Dawn, e David Griffin, é um texto muito interessante o qual identifica e mostra os processos psicológicos e psiquicos que ocorrem e atuam na magia principalmente nos processos iniciáticos.

Israel Regardie, Iniciação e Psicoterapia (parte 1)

A Ordem Hermética Da Aurora Dourada e a Ordo Rosae Rubae et Aurae Crucis (R.R et A.C.) são duas divisões de uma ordem iniciatica e mágica Fundada por Franco-Maçons de alto-grau na Inglaterra, respectivamente em 1888 e 1892, embora as Origens exatas da Ordem permaneçam obscuras tanto quanto controversas, sua importância primária e história está em sua brilhante síntese de material mágico e místico, de uma variedade de fontes como o Fama Fraternatis (O primeiro documento Rosacruciano publicado), o Livro Egípcio dos Mortos, Cornelius Agrippa, Tycho Brahe, e John Dee. Os aspectos salientes do vasto corpus iniciático e mágico da Ordem foram primeiramente revelados pelo falecido Dr. Israel Regardie, este material subsequentemente abalou grande parte das áreas da magia moderna, tanto quanto muitas outras arenas da espiritualidade.

Israel Regardie (1907-1985) é uma importante ligação da geração do renascimento mágico do final do século IXX, assim como pioneiro de uma prematura tentativa em integrar psicologia e magia.

Quando Regardie era um jovem homem, ele fervorosamente desejava se tornar um magista. Ele considerava Aleister Crowley como sendo o mais importante magista do período e, tendo apresentado-se a Crowley, por meio de uma carta de admiração, começou a trabalhar como seu secretário particular em Paris, em 1928, depois de vários anos com Crowley, Regardie foi forçado a partir, essa dolorosa ruptura com o seu instrutor causou um trauma que feriu Regardie profundamente; ele depois disse que levou quase sete anos para se recuperar.

Empobrecido e confuso, Regardie foi acolhido como hóspede de Dion Fortune, que estava vivendo próxima de Glastonbury no sudoeste da Inglaterra. Fortune não era somente uma magista talentosa como também uma clarividente natural. Até a sua morte ele nunca esqueceu a hospitalidade e generosidade dela durante esse difícil período.

Dion Fortune influenciou Regardie em uma direção completamente inesperada. Ela contribuiu para trazer as ideias de Sigmund Freud para a Inglaterra e escreveu uma coleção de curtas histórias chamadas Segredos do Dr. Taverner, entretanto ela caracterizava estas histórias como ficção.

Foi na mesa de jantar de Dion Fortune que Regardie foi primeiramente exposto às ideias de Sigmund Freud e C. G. Jung, logo depois, ainda lutando com a investida de emoções que brotaram pelo seu rompimento com Crowley, Regardie entrou primeiro em uma psicanálise Freudiana, e depois em análise Junguiana. Durante essa fase Regardie se tornou consciente de quão grande parte de seus conflitos emocionais tomaram parte de sua ruptura com Crowley. Regardie eventualmente concluiu que era um tipo de infantilidade não resolvida que era responsável pela maioria da caótica dinâmica de grupo das precedentes fraternidades esotéricas. Isto iria levá-lo a insistir na necessidade de
psicoterapia para qualquer um praticando seriamente qualquer disciplina espiritual.

Regardie depois se mudou para os U.S.A. onde se tornou familiarizado com as ideias de Wilhem Reich e entrou na terapia Reichiana. Ele também começou a se corresponder com a filha de Reich, Eva, que o estimulou a tomar um sério interesse na conexão mente-corpo a ponto de treinar para se tornar um quiroprático.

Evidentemente, combinar iniciação e psicoterapia envolve algumas dificuldades, ao passo que psicoterapia dificilmente será efetiva numa iniciação ou qualquer outro processo espiritual genuíno, nem todo mundo procurando iniciação tem os recursos para a despesa substancial da psicoterapia. Além disso, acho difícil que a maioria dos pacientes possa distinguir um terapeuta eficiente de um incompetente,
infortunadamente, ineptos e psicoterapeutas destrutivos são
frequentemente mais fáceis de achar que competente, e o mesmo vale para iniciadores e ordens iniciáticas. A grande maioria dos grupos esotéricos é primeiramente motivada pelas necessidades dos seus líderes por dinheiro ou controle manipulativo sobre a vida das outras pessoas.

Iniciação é um processo não diferente da psicoterapia no qual a habilidade e ética pessoal do iniciador são cruciais para um resultado bem sucedido, além disso, um relacionamento com um iniciador sem ética pode ser tão prejudicial quanto com um psicoterapeuta sem ética. Qualquer
um procurando iniciação então precisa ser extremamente discriminativo em escolher um iniciador ou ordem. O buscador também precisa distinguir entre ordens iniciáticas e cultos de personalidade, já que a grande quantidade de grupos espirituais tem sido construídas em volta das personalidades de líderes carismáticas mas manipulativos, este fenômeno combinado com desconsideração das
complicações psicológicas que podem surgir, como demonstrado por muito dos abusos que tem empestado a comunidade esotérica.

Uma análise da dinâmica psicológica subjacente à iniciação irá ajudar a esclarecer porque tais abusos ocorrem. O processo iniciático da Ordem Hermética da Aurora Dourada, claramente ilustra o perigo tanto quanto o potencial da iniciação. Mas vamos primeiramente considerar as diferenças primárias entre iniciação e psicoterapia.

Iniciação como o nome sugere, pode ser definida como um novo começo. No Sistema da Golden dawn, o processo iniciático tem um componente mágico assim como psicológico, o componente mágico pode ser descrito como o despertar sistemático ou ignição de certas forças ou energias na “Esfera de Sensações” do iniciado (A Esfera de Sensações é um termo usado na Ordo Rusae Rubae & Aurae Crucis para descrever o que é normalmente chamado de corpo energético ou a aura). Este processo requer um iniciador no qual essas forças já estão despertadas e ativas, sendo que iniciação ocorre através de uma real transmissão de energias, então de uma perspectiva mágica o relacionamento entre o iniciador e o candidato é crucial, nesse sentido auto-iniciação se não de todo impossível, é no mínimo extremamente difícil de alcançar, ela é no entanto possível, embora difícil, para realizar muito do objetivo mágico invocando as energias mágicas corretas sistemáticas e repetitivamente usando a magia cerimonial.

Embora muito tenha sido escrito sobre The Hermetic Order of the Golden Dawn, quase nada tem sido dito sobre o total processo iniciático no qual a Golden Dawn é apenas o primeiro passo. Desde o começo, esse sistema foi concebido como sendo composto de dez graus, cada um correspondendo a uma Sephirah na Qabalistica árvore da Vida, e de três graus cada um correspondendo a uma ordem inteira, cada sucessiva ordem é velada da anterior pelos véus de Isis e Nephthys (chamado paroketh).

O Primeiro Grau da ordem consiste no curriculum e ciclo de iniciações da The Hermetic Order of the Golden Dawn. Os graus deste começam com a iniciação de neófito e corresponde às Sephiroth de Malkuth, Yesod, Hod e Netsach.

O Segundo Grau da Ordem são aqueles da Ordo Rosae Rubae & Aurae Crucis. Os graus do Segundo Grau começam com a iniciação probatória do Portal do sepulcro dos Adeptos e corresponde às Sephiroth de Tiphareth, Gevurah e Chesed.

O Terceiro Grau da ordem são aqueles da Ordo Argentei Astri
(normalmente chamada de Terceira Ordem). Os graus da Terceira Ordem correspondem às Sephiroth de Binah, Chokmah e Kether, e começam com a iniciação probatória do Abismo (o qual corresponde à Daath).

Na primeira ordem as forças mágicas são despertadas, ativadas e equilibradas no candidato pelo iniciador nos rituais apropriados. Estas forças são aquelas dos elementos tradicionais: Fogo, Água, Ar, Terra e Espírito, os quais são simbolizados pelo pentagrama. Começando na segunda ordem, de qualquer modo, a prática individual da magia cerimonial aumenta grandemente esse processo.

O Trabalho da Segunda Ordem primariamente ativa as forças dos sete planetas tradicionais: Saturno, Júpiter, Marte, o Sol, Vênus, Mercúrio, e a Lua, os quais são simbolizados pelo hexagrama. Além disso, na segunda ordem, o adepto aprende a trabalhar
independentemente com os elementos através de uma série de sub-graus que ajudam a diferenciar estas forças na aura do adepto.

A Terceira Ordem ativa primariamente as forças do zodíaco, tanto quanto o Sal, Enxofre e Mercúrio alquímicos, que são simbolizados pelo triângulo. Então o trabalho da terceira ordem inclui a alquimia como um processo psico-espiritual assim como magia cerimonial.

ELIZABETH COSTA

FONTES: Chaves-do-Oculto

GOLDEN DAWN

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: