2 Comentários

SEU ALTAR E PRIMEIRA OFERENDA AOS ANCESTRAIS: Construindo um Altar

Pessoas de muitas fés diferentes constróem altares.
Até mesmo pessoas que não pertencem a qualquer fé particular podem reservar um canto de um quarto onde eles se sentam e pensam, meditam e rezam, fazem yôga ou tocam um tambor africano. Muitas vezes eles criam altares improvisados que incluem muitos destes objetos: flores, pedras e cristais, símbolos sagrados, fotografias ou imagens dos antepassados do indivíduo ou de personagens importantes, incensos, instrumentos musicais, velas, livros espiritualistas.

Conscientemente ou inconscientemente, quando nós construímos altares nos comprometemos num esforço em abrir a mais enigmática de todas as portas – a porta entre o mundo humano e o mundo espiritual.
Um altar é uma representação da mesma porta em termos materiais – o altar é a porta.
Quando você se senta na frente de seu altar, você está convidando as forças espirituais do outro lado desta porta para te notarem, te visitarem e agirem sobre você.
Considerando que a maioria das pessoas que moram no Brasil não podem começar a prática desta religião assistindo cerimônias de Vodu, uma das primeiras coisas que se pode fazer é construir um altar. Os altares de Vodu são tão variados quanto os indivíduos que praticam o mesmo. De certo modo, um peristilo é um altar, grande o bastante para os adoradores dançarem ao redor do centro, tocar tambor, executar sacrifícios, sofrer possessão – em resumo, representar cada aspecto do drama cósmico. Dentro do peristilo há áreas dedicadas a um loa específico – a cruz do Baron ou uma barraca de folhas de palmeira para Erzulie.
Junto ao peristilo existem salas menores chamadas djevo ou bagi nas quais são mantidos os objetos cerimoniais de uma sociedade de Vodu.
Porém, estes objetos que incluem chocalhos sagrados, garrafas vazias para oferendas de bebida, tetes dados durante a iniciação e potes de barro chamados govi, não têm uso algum para quem não seja iniciado.
Um modelo melhor é achado no kay myste (do francês caille des mysteres, casa de mistérios). Estas são casas pequenas, frequentemente não maiores do que 5 a 7 metros, nas quais são construídos altares individuais para cada loa que o dono da kay myste serve. Estes altares incorporam muitos materiais comuns, facilmente disponíveis em todos lugares no mundo.
Eles são notáveis por sua individualidade e beleza.
Frequentemente são construídos altares no Haiti num chão sujo. Sua kay myste pode consistir em uma área pequena em seu quarto ou sala, embora o sentimento no Haiti é que não é bom dormir no mesmo lugar com objetos consagrados ao loa, especialmente com uma pessoa do sexo oposto; exceto durante a iniciação, quando o sexo é proibido de qualquer maneira. Você pode separar esta área com uma cortina ou separar um quarto inteiro para o serviço ao loa. As instruções que seguem lhe darão
sugestões para construir um tipo de altar muito básico que pode ser então ser elaborado para o serviço a qualquer loa específico que você deseje.

Sugestões para construir um altar básico:
No Haiti, quando um Vodunista deseja fazer um altar em casa para um aspecto determinado de Deus, um santo, ou um loa, eles frequentemente compram certos objetos religiosos identificados com qualquer princípio que eles queiram servir e então um Houngan ou Mambo monta e consagra o altar. Alguns são feitos por definição em um chão sujo, outros são construídos em plataformas de tábuas
ou mais frequentemente de concreto.
Aqui está um possível método para montar um altar básico em lugar fechado, sem ser em chão sujo. Adquira um pano branco e lave em água com sua primeira urinada da manhã. Você pode substituir a urina por vinagre.
Deixe o lençol secar ao ar livre, ao sol se possível.
Cubra sua mesa de
altar com ele e então borrife-o levemente com seu perfume favorito.
Logo, consiga quatro pedras pequenas que se encontre próximas à sua casa, limpe-as deixando-as de molho com sal grosso e enxaguando bem, então coloque uma pedra em cada canto de seu altar. Limpe uma garrafa de vinho, uma tigela de vidro ou outra vasilha e encha de água. Não use metal ou louça – apenas vidro ou cristal.
Coloque-a no centro de seu altar e adicione três de porções de anisete ou rum branco assim que você abençoar a água.
É comum no Vodu a prática de batizar objetos rituais, quer dizer, dar nomes a eles. Você pode levar um maço de manjericão e pode ungir o batismo sobre seu vidro de água que agora será uma passagem poderosa para energia espiritual. Você pode nomear quase qualquer coisa, de maneira fantástica e positiva – “Água da Vida” ou “Gargarejo da Mamãe Que Traz Espírito” ou o que quer que seja!

Em um castiçal de vidro, coloque um pouco de terra de próximo da sua casa e uns grãos de sal grosso. Pegue uma vela branca e com algum óleo vegetal puro esfregue do meio até o topo e então do meio até a base.
Enquanto você lubrifica a vela, dirija sua energia para suas mãos e ore por consciência espiritual. Ponha firmemente na frente a vela no castiçal e coloque tudo na frente da vasilha de água. Não acenda a vela ainda.
Ao redor do altar você colocará outros objetos de acordo com os princípios divinos que você deseja servir.
Um santuário de ancestrais terá imagens de antepassados mortos, o altar de Ogoun terá uma machete e um lenço vermelho, o santuário de Erzulie Freda terá flores e jóias, e assim por diante.

2 comentários em “SEU ALTAR E PRIMEIRA OFERENDA AOS ANCESTRAIS: Construindo um Altar

  1. Em tudo (sem exceções, mesmo), que eu fui, sou e serei, e o qual me aconteceu, acontece e acontecerá, de: bom (bem, ótimo, excelente), a mim, então: Agradecimentos, Gratidões (Graças, Felizmente), Eterna, Infinitamente, a Todos os Benditos Deuses(as), Divindades, Deidades, Devas! Sempre! Namastê! Sempre! Amém! Assim Seja! Assim Se Faça!…

  2. Em tudo (sem exceções, mesmo), que eu tive, tenho, terei, e me aconteceu, acontece, acontecerá (e cada vez mais), de: bom (bem, ótimo, excelente), a mim, então: Agradecimentos (Agradecido), Gratidões (Grato), Graças (Felizmente), Infinita, Eternamente, a Todos os Benditos Deuses(as), Divindades, Deidades, Devas! Sempre! Namaste (Ave, Viva, Salve)! Sempre! Assim Se Faça! Assim Seja! Amém!…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: